Fazendo as malas... E agora?

 

A bagagem é um desafio universal. Em quantos filmes, seriados, novelas e até desenhos animados você já viu a clássica cena de alguém sentando sobre uma mala abarrotada, numa tentativa desesperada de fechá-la?...

 

Pois bem. Quem acompanha meus posts, sabe que eu tenho um sério problema: falta de concisão. Não consigo simplificar as coisas, torná-las mais objetivas. Adivinha se eu não sou assim, também, pra organizar o que levar numa bagagem?

 

E se a coisa já é complexa para os adultos, o que levar numa viagem para os pequenos? Insano. Você tende a pegar as gavetas e simplesmente despejá-las dentro da mala. E se ela passar frio? E se o clima esquentar? E se houver um ataque de dinossauros mutantes? Alguém como eu, o cúmulo da neurose, tem o desespero do controle. Porém, dois anos e quatro viagens mais longas depois, aprendi algumas coisas que compartilho hoje com vocês.

 

* Menos é mais. Sempre. 

Eu sei. É simplesmente irresistível descer todo o guarda-roupa das pequenas e pequenos; afinal, é tudo tão lindinho... Uma coisa vai combinando com a outra e, quando você se dá conta, a mala do seu filho já é o triplo da sua. Tenho feito a seguinte conta: uma blusa e uma calça por dia (ou short/saia/vestido); uns três ou quatro casacos-curinga (de preferência, incluindo dois impermeáveis); duas roupas para dormir; uma calcinha e um par de meias por dia (e mais duas de reserva, na mala de fraldas); três pares de sapatos (um tênis "pau pra toda obra", um mais "chique" e algo que combine com tudo, para o caso do tênis molhar, sujar ou algo do gênero).

Acredite: o hotel vai te dar toalhas e cobertores suficientes. Não encha a mala com peças como essas.

 

* Fraldas? Um pacote pequeno, para os primeiros dias.

Faça a lição de casa. Informe-se sobre farmácias ou mercados próximos ao hotel, resort ou pousada em que ficarão hospedados. Fraldas ocupam um mega espaço, e são vendidas em qualquer lugar do mundo (Huggies ou Pampers, sempre estarão no mercado). Ah! É importantíssimo converter o peso do seu baby para libras, a depender do destino.

O mesmo vale para o leite em pó. A não ser em casos muito específicos, como alergias ou intolerâncias, há opções interessantes por aí afora. Em Buenos Aires, por exemplo, encontramos leite de caixinha longa-vida pequenina, o suficiente para uma mamadeira, da marca Sancor. A Peeps amou tanto que trouxe uns sachês em pó na bagagem...

 

* Sim, é importante levar algo para os bebês se sentirem em casa. Mas não precisa ser o travesseiro!!!

Uma "naninha", um bichinho de pelúcia, uma bonequinha, um dinossauro de plástico... Coisinhas pequenas, mas que estão o tempo todo com o seu filhotinho, ajudam um tanto na hora de dormir. Quando fomos à San Francisco, Peeps nem tinha dois meses. Mas levou a naninha de ursinho que lhe acompanhava todas as noites. Até no sling ela o abraçava!... 
Mesmo agora, mais crescida, foi importante incluir itens muito queridos na bagagem. Para Cancún, levamos a Lalaloopsy e o livro mais amado (Bruxa, bruxa, venha à minha festa). Para o Uruguai, ela ainda escolherá o que levar. Não fechamos a mala...

 

* Se a intenção é fazer compras, leve apenas o mínimo indispensável. 

Lembre-se do excesso de bagagem; as regras variam muito de acordo com o destino e a companhia aérea, e sustos podem ser evitados se você simplesmente já contar com um espaço para acondicionar as aquisições. A "conta" de roupas que fiz para essa viagem não inclui esse espaço, por isso há pelo menos um outfit por dia.

 

* Desfraldando? Calças e underwear a mais. 

Sim, acidentes acontecem. Levem em consideração as novas experiências, a ansiedade e a empolgação, além de um detalhe muito singelo, mas que faz toda a diferença: a gente não sabe, ao certo, onde há banheiros nos lugares por onde iremos passar. Em tours de andanças, fica quase impossível encontrar um lugarzinho para os pequenos fazerem seus mil e um xixis. Então, sem estresse: calças reservas, e, a depender do passeio, uma fralda escondida na bolsa. Porque uma mãe prevenida vale por uma máquina cheia de roupas xixizadas na volta.

 

* Se a intenção é andar muito, vale a pena levar um carrinho. Ainda mais se for tipo guarda-chuva.

Temos um guarda-chuva Mac Laren (Daytripper) que apelidamos de off-road. O bichinho é tão bom, mas tão bom que não imaginamos nossa vida sem ele. Leve, altamente dobrável, despacha na entrada do avião e devolvem-nos na saída... Bonitinho. Assim, os longos trajetos a pé que tanto amamos continuam garantidos, sem levar nossa pequena Peeps de pernas ainda curtinhas à exaustão. 

Uma dica: se você ainda não comprou seu carrinho, vale investir num que deite. O nosso não deita, e frequentemente nos irritamos com as chatices dos estranhos ("ela vai ficar com o pescoço torto!!!", ou "coitadinha, deve estar doendo...", em muitos idiomas diferentes. E em todos é um saco ter que ficar respondendo.).

 

* O que levo numa bolsa de fraldas (ou bagagem "de mão").

Tenho extremo PAVOR de malas extraviadas. Por isso, acabo levando ao menos um outfit completo, além de fraldas, calcinhas, lenços umedecidos, a bombinha de asma, duas chupetas, um squeeze e itens de higiene pessoal (escova e creme dental, sabonete líquido, perfuminho, hidratante, protetor solar). Em voos internacionais, é essencial separar os líquidos e cremes em saquinhos tipo ziploc, com, no máximo, 100 ml em cada um (no total). 

Quando ela tomava mamadeira, ainda incluía dois potes próprios com divisórias, principalmente em voos mais longos. A bordo, peça água aos comissários, que costumam ser bem simpáticos nessas ocasiões. Agora, que ela não mama mais, pretendo substituir por um pacotinho de biscoitos.

 

Vale também incluir iPads, DVDs portáteis, algo que distraia a criancinha durante o voo. Temos um DVD próprio para crianças, compramos um fone de ouvido bem fofinho, e levamos um porta-CDs com muitas opções de shows e desenhos preferidos. A paz que isso traz não tem preço!!!

 

Nesse post anterior, você encontra também algumas dicas de como programar sua estadia, independentemente do destino. Por enquanto, tem dado super certo conosco!

 

 

DVD portátil: Palavra Cantada a serviço da paz nas três horas e meia de voo entre Cancún e Panama City.
DVD Tec Toy, blusa Nosh, calça Chicco e Crocs.
por Clau Nicolau - 2 de julho de 2013